A Justiça de Abadiânia (GO) acatou o pedido do MP-GO (Ministério Público de Goiás) e decidiu, nesta sexta-feira (14), pela prisão preventiva de João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus. As informações são da RecordTV Goiás, que confirmou a ordem com mais de uma fonte.
O processo corre em segredo de Justiça e ainda não se sabe para qual presídio o médium será levado. A reportagem tentou contato com a defesa de João de Deus, mas ainda não obteve resposta.
O Ministério do Público está fechado nesta sexta devido ao Dia Nacional do Ministério Público. Mesmo assim, está acontecendo uma reunião da força-tarefa responsável pela investigação.
Na noite desta quarta (12), a Promotoria de Justiça de Goiás solicitou a prisão preventiva do médium, cinco dias depois de as primeiras denúncias de abusos sexuais começarem a aparecer.
Uma força-tarefa foi criada pelo MP para ouvir as vítimas do médium. Até a noite desta quinta-feira (13), 330 mulheres, só em Goiás, foram atendidas pela equipe criada especialmente para atender o caso.
Em sua primeira aparição pública após as denúncias, na manhã desta quarta-feira (12), João de Deus ficou cerca de 10 minutos na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás. O médium e se disse inocente e declarou ainda que estava à disposição da Justiça.

Outro lado

 O advogado criminalista Alberto Toron, que representa João de Deus, se posicionou sobre as acusações de abuso sexual contra o médium em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo. Ele afirmou que o médium “nega e recebe com indignação a existência dessas declarações”. R7

                                                                                                      (Fonte Média Bahia)