A estreia da Seleção Brasileira decepcionou milhões de brasileiros que assistiram ao jogo com a expectativa de um resultado melhor. O Brasil acumulava nove vitórias seguidas nas últimas nove estreias em Copas do Mundo. A última vez que estreou sem vitória foi em 1978, Copa que sagrou a Argentina como campeã. O duelo entre Brasil e Suíça reuniu as duas seleções mais bem colocadas no ranking FIFA, sendo o Brasil 2º e a Suíça 6ª. Tite escalou o que ele tem de melhor, uma formação ofensiva com o quarteto Coutinho, Neymar, Willian e Gabriel Jesus. A formação tática apresentava um Brasil que iria pra cima, que sufocaria a Suíça, mas em campo não foi isso que aconteceu. A impressão que deu foi que a Seleção Brasileira esperava uma Suíça retrancada, que jogaria por uma bola, com um 4-5-1 travado, uma linha de 5 com forte marcação, mas a Suíça é outra seleção, com mais técnica, com bom contra-ataque e alguns jogadores individualmente mais qualificados, como Shaqiri e Berahmi.

O que deu errado na seleção Brasileira?
Jogadores que costumam decidir e desequilibrar, estiveram muito mal tecnicamente. O lado mais forte e eficaz do Brasil é o lado esquerdo com Marcelo, Coutinho e Neymar. No entanto, somente Coutinho teve boa atuação. Marcelo errou muitos passes e foi pouco na linha de fundo. E um caso à parte foi Neymar. O principal jogador da Seleção Brasileira fez uma partida muito ruim, sendo demasiadamente individualista. Quando a bola chegava em Neymar, a jogada não mais fluía, porque ele segurava demais a bola, tentava dribles sem objetividade e se jogava muito. Tite precisa repreendê-lo, pedir celeridade nas jogadas e mais objetividade. Além disso, Gabriel Jesus sentiu o peso da estreia, Willian foi outra decepção e Paulinho não foi tão participativo como outrora. Essa combinação com a boa postura da Suíça atrapalhou o Brasil, que teve um desempenho bem pior do que o resultado. 

                                                                                                   (Fonte Giro/Romário Henderson)