Partida marcada por erros da arbitragem terminou em 2 a 2 - Foto: Margarida Neide | Ag. A TARDE
Em um jogo cheio de emoções na noite deste sábado, 14, no Barradão, Vitória e Flamengo empataram em 2 a 2 pela rodada inicial do Campeonato Brasileiro.
Lucas Paquetá abriu o placar para o rubro-negro carioca, com apenas 16 segundos de jogo. O Leão baiano marcou com Yago, aos 12 minutos da primeira etapa, após a marcação de polêmico pênalti, em lance que gerou a expulsão de Éverton Ribeiro. 
O Rubro-negro carioca virou no segundo tempo, em um lance irregular que gerou o gol de Réver, aos 26 minutos. O Vitória chegou ao empate aos 30, com Denílson, de cabeça. 
O Vitória agora volta suas forças para a partida de volta da quarta fase da Copa do Brasil na quinta, às 19h15, no Barradão, contra o Inter.  
Já o Flamengo atua na quarta, às 21h45, contra o Indepiendente Santa Fé, da Colômbia, no Maracanã.
Gol relâmpago
Na escalação inicial, o técnico Vagner Mancini decidiu por manter no time titular o goleiro Caíque, autor da falha no triunfo sofrido contra o Inter por 2 a 1. E com apenas 16 segundos de jogo, o arqueiro do Vitória foi exigido, mas nada pode fazer para evitar o gol do Flamengo. 
Na saída de bola, de posse do Mengão, o rubro-negro baiano adiantou muito sua marcação. O zagueiro Juan deu um chutão para frente e o defensor baiano Kanu cortou a bola errado, que acabou sobrando para Éverton Ribeiro. 
O meia tocou para Vinicius Junior comandar o rápido contra-golpe do time carioca. Vinicius então deu um passe na entrada da área para Lucas Paquetá, que da entrada da área chutou rasteiro no canto, sem chance para Caíque.
Apesar do Flamengo marcar o gol cedo e começar melhor, um lance, aos nove minutos, causou muita polêmica na partida e mudou a sorte do jogo para o Vitória.
Rodrigo Andrade chutou rasteiro e Diego Alves espalmou. Na sobra, Rhayner perdeu grande chance chutando, dentro da pequena área, em cima do defensor do Flamengo. Nova sobra, e desta vez foi a vez de Denílson perder o gol, defendido por Diego Alves. Na quarta chance em sequência, Rhayner chutou e o juiz marcou pênalti, alegando que Éverton Ribeiro teria colocado a mão na bola.
O jogador do Flamengo reclamou muito da marcação, que realmente bateu apenas no rosto de Éverton, apesar do jogador ter aberto as mãos, mas sem tocar na bola. O fato é que o juiz manteve o pênalti e Yago, aos 12 minutos, cobrou com categoria, forte e alto no canto, empatando o jogo no Barradão. Diego Alves até pulou no canto certo, mas não alcançou a bola.
Correndo muito risco com a pressão do Vitória, após o time baiano ficar com a superioridade numérica, o técnico Barbieri resolveu tirar o atacante Henrique Dourado e colocar o volante Willian Arão para recompor o meio de campo.
Com a mudança, o time carioca conseguiu tocar mais a bola no meio de campo e conseguiu reduzir as tentativas ofensivas do Leão baiano.
Na segunda etapa, mais emoções no jogo. Entretanto, ao contrário do primeiro tempo, a etapa final demorou de engatar. Mesmo com um a mais em campo, o Vitória pouco assustava Diego Alves. E quem conseguiu chegar ao segundo gol primeiro foi o Flamengo, em um lance irregular, aos 26 minutos. 
Diego cobrou falta na área e Arão, em posição de impedimento tocou mal de cabeça. A defesa do Leão só fez assistir quando a bola sobrou para Geuvânio, que tocou para trás e achou Réver. O zagueiro desviou para o gol e colocou o Flamengo na frente no placar.
O gol reacendeu o Vitória na partida, que chegou ao empate quatro minutos depois. Rhayner cruzou na medida para Denílson, que sozinho no meio dos zagueiros do Flamengo, tocou de cabeça e marcou o segundo do Leão no jogo.
Os minutos finais foram então de muita emoção, com o Vitória buscando a virada e o Flamengo tentando resistir e achar algum lance no contra-ataque. Mas a partida ficou mesmo no empate até o apito final do juiz.
                                                                                                            (Fonte A TARDE)