Edílson Capetinha passou quatro dias detido - Foto: Arestides Baptista | Ag. A TARDE l 16.09.2015
O ex-jogador de futebol baiano Edílson Silva Ferreira, o Edílson Capetinha, deixou na noite desta sexta-feira, 18, o Complexo Penitenciário Lemos de Brito, no bairro da Mata Escura, em Salvador, e já está em casa. Ele foi preso na última terça, 15, por não pagar a pensão alimentícia do filho. A informação foi confirmada pelo advogado do ex-atleta, Eduardo Pereira.
De acordo com o advogado, o alvará de soltura foi liberado após um acordo em relação à dívida entre o ex-jogador e a outra parte. Os detalhes do acordo e o valor da dívida não foram informados.
Antes de ser transferido para o presídio na quinta, 17, o ex-jogador passou dois dias na carceragem da Coordenadoria de Polícia Interestadual (Polinter), nos Barris, em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela 2ª Vara de Família de Brasília (DF). 

Segundo o advogado, o alvará de soltura foi liberado após um 
acordo judicial (Foto: Eduardo Pereira)
Essa foi a terceira vez que Edílson foi preso por não pagar pensão alimentícia. O ex-atleta foi detido pela primeira vez há cerca de três anos, em março de 2014, quando foi localizado por uma equipe policial na Av. Garibaldi. No mês de julho de 2016, o Capetinha foi preso em Brasília, segundo informações divulgadas à época, por uma dívida de cerca de R$ 430 mil.
O ex-atleta ainda se envolveu em outra polêmica após a prisão. Ele recebeu uma notificção e teve os bens bloqueados pela Justiça para quitar dívidas que podem chegar até R$ 10 milhões.
Carreira
Edílson deixou o futebol em 2010, quando estava no Bahia. Em quase 20 anos de carreira, defendeu Vitória, Palmeiras, Corinthians, Flamengo e Cruzeiro. Com a Seleção Brasileira, foi campeão mundial na Copa do Japão e da Coreia do Sul, em 2002.
No Palmeiras, foi um dos principais jogadores no bicampeonato paulista de 1993 e 1994 - também ajudou na conquista do Brasileirão de 1993.
Em 1997, foi para o Corinthians, após passar pelo Benfica e pelo Kashiwa Reysol. Com a camisa corintiana, faturou mais dois títulos nacionais (1998 e 1999), além do Paulistão e do Mundial de Clubes.
                                                               (Fonte A TARDE)